SOBRE O PROJETO

O Museu Bordalo Pinheiro foi fundado em 1916. O registo e o inventário das suas coleções têm sido realizados por diversos colaboradores ao longo do seu tempo de existência.

Com o objetivo de estimular o estudo da obra do artista, decidimos facultar o acesso à informação disponível sobre toda a coleção, ainda que não tenha havido a possibilidade de rever e atualizar a sua maior parte.

Somos os primeiros a agradecer que nos apontem a necessidade de fazer correções, bem como o envio de novos dados que nos permitam ampliar o conhecimento dos trabalhos de Rafael Bordalo Pinheiro e de outros artistas e autores que a coleção contempla.

Progressivamente, as imagens da coleção serão melhoradas e será verificada e introduzida nova informação nesta ferramenta de pesquisa on-line.

Contamos com os vossos contributos através do e-mail colecao@museubordalopinheiro.pt

Para além da pesquisa em torno da coleção, é possível partilhar imagens, enviar sugestões por e-mail para outras pessoas, selecionar um conjunto de obras e reuni-las em a minha coleção através de um login de acesso.

Boas pesquisas!



A COLEÇÃO

O Museu Bordalo Pinheiro possui uma notável coleção da obra artística de Rafael Bordalo Pinheiro e do seu filho Manuel Gustavo. A multiplicidade de conteúdos e de significações associadas à obra confere-lhe um duplo estatuto de objeto de arte e de documento.

A partir da coleção de Cruz Magalhães, fundador do Museu, o acervo tem vindo a ser enriquecido ao longo dos últimos 100 anos. O desenho humorístico variado e a cerâmica das Caldas da Rainha por outros artistas, assim como fotografia e documentação relacionadas com os Bordalo Pinheiro e a atividade do Museu, completam o espólio.

A coleção conta com cerca de 13.200 objectos distribuídos pelas seguintes categorias: Azulejaria, Cerâmica, Desenho, Equipamentos e Utensílios, Escultura, Documentação, Fotografia, Gravura, Mobiliário, Pintura, Têxteis, entre outras.

O Museu dispõe ainda de uma Biblioteca especializada que integra publicações periódicas de época e obras de referência para o estudo do contexto histórico e artístico de Rafael Bordalo Pinheiro, onde sobressaem o desenho humorístico, a caricatura e a cerâmica.



| AZULEJARIA

Azulejos padrão e azulejos pintados, individuais ou formando painéis, a coleção do Museu é representativa da obra azulejar de Rafael Bordalo Pinheiro.

É constituída exclusivamente por peças produzidas na Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha, a partir de 1884, ano da sua fundação. Destaca-se a grande variedade de padrões revivalistas, naturalistas e arte nova, acrescida de alguns exemplares únicos de azulejos pintados.

A coleção conta cerca de 100 peças, compreendendo azulejos avulso e painéis.



| CERÂMICA

O Museu guarda a mais importante coleção de faiança de Rafael Bordalo Pinheiro. Na sua grande maioria são peças únicas ou seriadas da Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha, fundada em 1884.

Encontram-se representados outros artistas cerâmicos das Caldas, como Maria dos Cacos, Manuel Cipriano Gomes, dito o Mafra, e Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro, filho de Rafael Bordalo.

É constituída por cerca de 1000 peças, apresentando modelos muito diversos de faiança artística e comum.



| DESENHO

Desenhos originais de Rafael Bordalo Pinheiro e do seu filho Manuel Gustavo.

Esta coleção abrange um vasto período de trabalho dos artistas sendo, na sua maioria, composta por desenho humorístico. Integra ainda apontamentos "ao vivo", estudos para publicação em periódicos, ilustração e figurinos para teatro, assim como obras desenhadas por outros artistas, salientando-se Columbano Bordalo Pinheiro, Francisco Valença e Stuart Carvalhaes.

É constituída por mais de 2600 peças.



| EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS

A coleção de equipamentos e utensílios reúne diversos materiais e instrumentos de trabalho de Rafael Bordalo Pinheiro e do seu filho Manuel Gustavo, diretamente relacionados com a obra gráfica e cerâmica dos dois artistas. São de salientar as matrizes originais para gravura, em madeira e em zinco, de Bordalo Pinheiro.

O conjunto contempla mais de 100 peças.



| DOCUMENTAÇÃO

O fundo documental integra um conjunto expressivo de correspondência, postais ilustrados, anotações, agendas, contabilidade, documentos oficiais, entre outros, que reportam ao universo familiar, afetivo, profissional e biográfico de Rafael Bordalo Pinheiro.

Relacionados com a história do Museu e da Coleção, destacam-se três importantes espólios: de Cruz Magalhães, fundador do museu, referente ao período 1914-1928, do Grupo de Amigos Defensores do Museu Rafael Bordalo Pinheiro, entre 1920-1945, e de Julieta Ferrão, primeira diretora do museu.

A coleção reúne cerca de 3250 documentos.



| FOTOGRAFIA

Retratos, interiores, exposições, peças gráficas e cerâmicas de Rafael Bordalo Pinheiro formam a coleção de fotografia do Museu.

Salientam-se os núcleos da família Bordalo Pinheiro, da Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha, de Cruz Magalhães, de Julieta Ferrão e do Museu.

A coleção compreende exemplares realizados em estúdio por fotógrafos reconhecidos, mas também ao ar livre e por fotógrafos amadores. Registam-se mais de 100 estúdios fotográficos, sobretudo localizados em Lisboa, Porto, Paris e Rio de Janeiro.

O acervo compreende cerca de 1800 peças.



| GRAVURA

Gravuras de Rafael Bordalo Pinheiro e do seu filho Manuel Gustavo.

Esta coleção é constituída, sobretudo, por páginas litografadas dos jornais humorísticos que Bordalo Pinheiro fundou e dirigiu. Contempla uma multiplicidade de colaborações deste artista em periódicos nacionais ou estrangeiros e numerosos trabalhos gráficos, como ilustração, folhas volantes, capas para encadernação, publicidade, embalagem, entre outros.

Entre as cerca de 3300 peças, encontram-se representadas várias técnicas de gravura.



| PINTURA

A coleção de pintura do Museu Bordalo Pinheiro é formada, maioritariamente, por obras de Rafael Bordalo Pinheiro, salientando-se a temática dos tipos populares, os projetos decorativos e a publicidade.

Merece destaque o retrato de Rafael pintado pelo irmão Columbano Bordalo Pinheiro.

Na coleção estão representadas várias técnicas, evidenciando-se a aguarela. É constituída por cerca de 100 peças.



| JORNAIS

Uma parte significativa da obra gráfica de Rafael Bordalo Pinheiro foi publicada nos jornais que fundou e de que foi proprietário. Através destes jornais acompanhamos o quotidiano da vida social e política portuguesa num registo documental e crítico, sempre cheio de humor.

O Museu Bordalo Pinheiro contou com a importante parceria da Hemeroteca Municipal de Lisboa para a digitalização e divulgação on-line dos Periódicos que Rafael Bordalo dirigiu ou nos quais colaborou.